Guy Veloso – Febre, Fé e Ritos

23 março 2014

A “Fotografia Documental” como o nome já diz, é o registro visual de algum acontecimento, um documento, como antes os pintores épicos ou aquarelistas faziam. Guy Benchimol de Veloso ou simplesmente “Guy Veloso” (pronúncia: Güi Veloso) nasceu em 1969 em Belém do Pará onde vive e trabalha. Iniciou sua pesquisa visual em 1989 e desde então Guy usa o mesmo equipamento analógico, sua velha câmera Nikon.

O tema central e primordial abordado por Guy Veloso é a “Religião“, sem distinção de crenças ou doutrinas. Sua lente busca a Fé, os Ritos e vai no cerne do frenesi religioso, seja em procissões ou manifestações diversas. O fato de acompanhar de perto e não usar equipamento que possibilite fotografar a distância (Zoom), faz dele um membro dos Atos que registra, estando sempre próximo e diante de seus personagens, quase sempre pessoas. Guy Veloso não é um fotógrafo documental comum, que realiza suas fotos mediante a sua comodidade, pelo contrário, ele busca o embate e traz a sua obra o calor de suas manifestações. Sua obra não pode ser considerada “Sacra”, pois ele não se limita a ser um fotógrafo Cristão, ou de apenas uma denominação, sua obra busca a “religiosidade”, as evocações de fé em suas diversas naturezas e cultos.

Além de viajar todo o país em busca de material para suas séries, Guy realizou significativas viagens ao exterior, destaque para Espanha  no qual percorreu o “Caminho de San Tiago de Compostela” em 1993, culminado no livro de fotografias: Via Láctea – Pelos Caminhos de Compostela e no ano seguinte (1994) na Índia teve a oportunidade de fotografar dois líderes religiosos Sathya Sai Baba e o 14º Dalai Lama: Tenzin Gyatso.

Em 2010  foi convidado pelos curadores Moacir dos Anjos e Agnaldo Farias para participar da 29ª Bienal de São Paulo, as imagens escolhidas para a exposição são um recorte de um projeto maior e inédito iniciado em 2002, “Penitentes: dos Ritos de Sangue à Fascinação do Fim do Mundo”, curado por Rosely Nakagawa, feito com equipamento analógico, com previsão de durar 13 anos, esta retrata cerimonias de auto-flagelação muitas delas do Nordeste Brasileiro.

A obra de Guy Veloso compõe os principais acervos do Brasil e  muitos também no Exterior, como: Essex Collection of Art from Latin America (ESCALA), (Inglaterra), Centro Português de Fotografia (Portugal), também do MASP, MAM-RJ e MAM-SP.


Fontes e site relacionados:
Fotografia Documental
Wikipedia.org/Guy_Veloso

“Guy Veloso e sua lente”

Foto realizada em sua viagem a Índia no centro o líder religioso “Sai Baba“

Série: Penitentes, exposta na 29ª Bienal Internacional de Arte de São Paulo

“Janus” do 18º Calendário Pirelli, acervo MASP

 

Waldir Bronson

Previous story Next story

T

o

P

o