Auto-retratos de Van Gogh

4 novembro 2018

Poucos artistas realizaram tantos auto-retratos como Vincent Van Gogh(1853-1890), estas pinturas são uma forma de acompanhar sua evolução artística e até seus estados psicológicos ao longo dos anos. Tamanha a importância de seus auto-retratos que devem ser analisados, a parte de sua produção artística entre suas paisagens, naturezas-mortas e retratos.

Auto-retrato com bandagem na orelha,1889

Van Gogh ficou conhecido por fazer obras com cores intensas e pinceladas espessas, mas além disso por seu comportamento insano e por episódios famosos como a noite em que cortou sua própria orelha, após entrar em contenda com o também pintor Paul Gauguin(1848-1903). Todo este descontrole e inconstância emocional do artista pode ser acompanhado em sua iconografia, conforme sua angústia se intensifica mais a ânsia de pintar e expressar o vulcão de emoções que habitava dentro daquele homem, que alguns consideraram um louco e outros um gênio da pintura.

“Auto-retrato como um pintor” de 1887

Em sua curta, intensa e trágica carreira Van Gogh deixou uma vasta produção artística que se inicia em 1880 quando decide se tornar um artista, incentivado pelo irmão Theo um comerciante de arte. Van Gogh se matricula na Academia Real de Arte de Bruxelas, onde teve seus primeiros ensinamentos de desenho e pintura, inspira-se em pintores como Jules Breton e Jean-François Millet, artistas chamados de Realistas que retratavam a classe trabalhadora.

Estudo de auto-retrato, primeiro desenho do artista do gênero de 1886

Em 1886 muda-se para “Paris” centro cultural e efervescência do mundo, lá conhece grandes nomes da vanguarda artística, realiza seus primeiros auto-retratos, podemos notar uma evolução em seu trabalho e uma nítida transformação em sua pintura, de pinturas mais escuras e melancólicas para uma visão mais emocional por parte da cor e o contato com o  pontilhismo de Georges Seurat.

Auto-retrato de 1887-88

Auto-retrato dedicado a Gauguin de 1888

Cansado da vida agitada de Paris e dos conflitos com seu irmão Theo resolve se mudar para o sul da França em Arles, lá Van Gogh teve contato com um lugar muito mais calmo e com uma clima ensolarado que o faria pintar inúmeros campos de trigo e Girassóis, sua flor predileta. Porém após um ano de trabalho árduo sua sanidade começa deteriorar e culminou no famoso incidente que ele cortou sua própria orelha, ali Van Gogh seria hospitalizado em 1889 e levado ao “Hospital Psiquiátrico de Saint-Rémy” onde realizou algumas de suas pinturas mais famosas, como “Noite Estrelada”.

“Auto-retrato em Saint Rémy” de 1888

Percebemos uma mudança no seu estado mental na maneira que ele mesmo se retrata, os fundos são chapados com cores intensas e alguns até revoltosos com pinceladas sinuosas, talvez transmitindo seu próprio estado mental. O último auto-retrato de Van Gogh data de 1889, um ano antes de sua morte, mostra um Van Gogh de olhar sereno e sem barba, sua serenidade possa transmitir sua resignação quanto a sua condição de pintor mal sucedido e mentalmente perturbado.

“Auto-retrato sem barba” de 1889

Durante suas últimas semanas de vida em Auvers-sur-Oise  próximo de Paris Van Gogh não fez nenhum auto-retrato, apenas paisagens com pinceladas rápidas e fortes, também o uso carregado da cor característica marcantes que influenciaria muitos artistas no séc.XX.

 

Waldir Bronson

Previous story Next story

T

o

P

o