Entre 1952-56 Cândido Portinari se aventura naquela que seria seu maior trabalho os painéis: “Guerra e Paz” . Guerra e Paz está para Portinari assim como o Teto da Capela Sistina está para Michelangelo. Sem dúvida é sua obra-prima, tanto por sua monumentalidade como por seu conteúdo e qualidade pictórica.

Portinari executando um dos painéis, 1956

Em 1952 o primeiro secretário da ONU (Organização das Nações Unidas) pediu para que todos os países membros doassem uma obra de arte a sede em Nova York, o Brasil escolheu seu melhor pintor: Cândido Portinari(1903-62). Ali o pintor natural de Brodósqui teria um imenso desafio, seria uma pintura imensa cada uma com 14m x 10m. Neste período temos a influência do Muralismo Mexicano em sua obra que desde os anos 40 vem realizando painéis com temas sociais e históricos, como Painel Bandeirantes(São Paulo) , Murais na Fundação Hispânica da Biblioteca do Congresso (Washington, D.C.)  e o Painel Tiradentes(São Paulo).

Painel Tiradentes, 1949

Nesta época os médicos recomendaram a Portinari que parasse de pintar temporariamente devido a intoxicação das tintas, mesmo assim este artista se negou a parar de trabalhar e assumiu este compromisso homérico.

Esboços realizados pelo artista entre 1952-55

Em 1956 a obra fica pronta e é exposta no Teatro Municipal do Rio de Janeiro antes de partir para Nova York, onde ficaria na sede da ONU, infelizmente o pintor não pode estar presente na inauguração de sua obra nos EUA em 1957, já que seu visto não foi autorizado por ser membro do Partido Comunista.

Painel Guerra

Painel Guerra:

O primeiro painel remete a dor  e os sentimentos humanos, porém como Pablo Picasso em “Guernica”, Portinari não registrou cenas de guerra, mas sim os sentimentos daqueles que são vítimas da guerra. “Guerra” é uma obra de tons predominantemente  frios e com partes azuis escuro e alguns pontos de amarelo, percebemos tons sóbrios de acordo com a temática da obra. Na pintura pintura vemos crianças e mulheres desesperadas, ora com os braços erguidos clamando aos céus, ora com a mão no rosto. No canto extremo inferior direito destaque para um cavaleiro com aspecto mórbido sob um cavalo azul que revela um dos  Cavaleiros do Apocalipse do antigo testamento, a baixo dele cães e feras avançam com violência em direção do espectador.  Expressões de dor e angústia dominam as figuras presentes nesta obra.

Painel Paz

Painel Paz:

Na obra “Paz” percebemos um contraste na temática e nas cores tendendo para tons suaves, ao invés de pungência vemos alegria e crianças convivendo em harmonia com os animais. O pintor trouxe a memória de sua infância para a pintura com diversas brincadeiras infantis e costumes típicos tupiniquins como a capoeira. Ao invés de cores pesadas como o Azul escuro, preferiu o vermelho e o amarelo, cores mais vivas,  que transmitem um ambiente de festa e harmonia.  A presença de cores vivas, como o vermelho, chamam a atenção do observador para a felicidade que emana da pintura, assim como as figuras representadas nele. Destaque para a imagens do centro a esquerda, mostrando a pureza de um coral de crianças.

Após 50 anos fora do Brasil finalmente “Guerra e Paz” retornou em terras brasileiras em 2010-11 foi exposto no Rio de Janeiro e em São Paulo, depois em Paris, Hiroshima, Oslo e depois retornou para Nova York.

Cândido Portinari faleceu em 1962 devido a intoxicação das tintas deixando um acerco com cerca de 5 mil obras.

 

Waldir Bronson

Previous story Next story

T

o

P

o