A Experiência Impressionista da Luz

17 agosto 2017

Na década de 1890 o pintor impressionista francês Claude Monet(1840-1926) pintou um mesmo tema em diferentes condições climáticas e de luz. As pinturas da Catedral de Rouen mostra diferentes exposições a luz e a variação de cores de acordo com as estações do ano.

A Igreja Gótica do séc.XII  é o assunto desta série de pintura que o artista notabilizou nas séries de 30 pinturas , sua obstinação em registrar as nuances e mudanças tonais  foi tanta que Monet montou um ateliê na frente da Catedral. Monet faz uma busca pelas cores latentes e os efeitos atmosféricos que a igreja estaria exposta ao decorrer do tempo. Podemos ler abaixo um dos relatos pessoais do pintor sobre tal feito:

“Todos os dias eu capto e me surpreendo como alguma coisa que ainda não tinha sabido ver. Que difícil de fazer é essa catedral! Quanto mais avanço, mais me fatiga restituir o que sinto; eu me digo que aquele que diz ter terminado uma tela é um terrível orgulhoso”

Claude Monet

A teoria das cores do químico francês Chevreul influenciou os pintores impressionistas , Chevreul mostrava a relação que as cores possuem umas com as outras, então assim uma sombra não é apenas um tom escuro, mas a mistura de várias cores como o violeta, azul e assim por diante.

Claude Monet “Catedral de Rouen” 1892-1894

Experiência semelhante a de Monet foi do também pintor impressionista francês Camille Pissarro(1830-1903) que no final de sua vida recomendado pelo médico não poderia mais pintar ao ar livre devido a um problema em sua vista. Pisarro começou a pintar paisagens urbanas vistas  de janelas de hotéis em Paris. Ali Pissarro observa um mesmo tema em diferentes horários do dia e em climas variados, mudando totalmente a paleta de cores como em sua série: A ponte Boieldieu. O estilo de Camille Pissarro era muito fiel ao impressionismo, tanto que poucos pintores se mantiveram tão fiéis ao movimento quanto ele, na década de 1880 Pissarro sentiu-se atraído pelo Pontilhismo ou Divisionismo, assim utilizou a tal técnica de utilizar pontos lado a lado. Algo presente em quase todas as pinturas dele é o trabalho, sempre há alguém ou alguma ação ligada ao trabalho, haja exemplo estas pinturas que mostram o movimento alucinante de Paris.

Camille Pissarro “A ponte Boieldieu” 1896

Camille Pissarro “A ponte Boieldieu” 1896

Camille Pissarro “A ponte Boieldieu” 1896

Camille Pissarro “A ponte Boieldieu” 1896

Os pintores impressionistas como Monet e Pisarro  levaram as últimas consequências  os efeitos da natureza, quase tão intenso  William Turner no aspecto da paixão pelos aspectos atmosféricos, porém os franceses tentaram registrar a variedade de cores que pode ter um único tema e o vislumbrar da luz sob um único tema.

Claude Monet “Catedral de Rouen” 1892-1894

Claude Monet “Catedral de Rouen” 1892-1894

Claude Monet “Catedral de Rouen” 1892-1894

Waldir Bronson

Previous story Next story

T

o

P

o